Proibido é Mais Gostoso


O novo trabalho do cantor Zé Felipe, “Proibido é Mais Gostoso” chega às lojas e aos parceiros digitais da Sony Music no próximo dia 17 de junho. O álbum apresenta 14 músicas escolhidas pelo artista, incluindo os hits Deixa que Ela Decide, parceria com a dupla sertaneja Pedro Paulo & Alex, e “Não me Toca”, com a participação da cantora Ludmilla, além de “Maquiagem Borrada”, já nas rádios de todo o Brasil. Com participações especiais de peso, o projeto contou com a produção musical do conceituado Eduardo Pepato, que já trabalhou com nomes como Chitãozinho & Xororó, Gusttavo Lima e Henrique & Juliano.

“Acho que consegui um repertório bem eclético, que tem música pra cima, música romântica, pra escutar em casa, pra ir para festa, para chorar. Está bastante eclético e foi escolhido com muito carinho”, revela Zé Felipe.

Com apenas 18 anos de idade e um ano e meio de carreira, o jovem cantor é fenômeno nas redes sociais e teve quatro músicas entre as mais tocadas nas rádios brasileiras. “Proibido é Mais Gostoso” traz uma versão ainda mais madura do cantor.

“Quando comecei, há um ano e oito meses atrás, eu era cru. Eu sabia o que eu queria fazer da minha vida, mas não tinha experiência. Eu acho que a maior aula que um artista pode ter é a estrada. Mas estou começando ainda, tem muita coisa para melhorar e muita experiência para pegar”, afirma.

O grande trunfo de Zé Felipe não é o sucesso que ele alcançou em menos de dois anos de carreira, com quatro singles no Top 5 Brasil, mas mostrar que o caminho da música boa continua aberto para jovens artistas que ousam. É o caso deste segundo trabalho, “Proibido é mais Gostoso”, já com duas canções em altíssima rotação e um repertório escolhido a dedo que mostra que o sertanejo é a música não apenas de maior sucesso no país, mas também a mais versátil.

A origem de berço de Zé Felipe é o sertanejo. Não poderia ser diferente, sendo filho do maior astro do gênero no país, Leonardo. Só que igualmente de berço veio o sangue latino, de seu avô materno, que é espanhol.

Aos 16 anos, quando lançou seu bem-sucedido disco de estreia, “Você e Eu”, escutava em alta rotação tanto Luan Santana quanto Enrique Iglesias. Nos dois anos que separam o primeiro deste segundo disco, ele cresceu (fisicamente e em experiência na estrada), sua voz encorpou assim como o repertório.

O resultado é um trabalho que vai do sertanejo aos ritmos latinos e caribenhos passando pelo pop sem em qualquer momento perder a mão e a assinatura. Prova disso são os dois primeiros singles do disco - o clipe do primeiro, “Não Me Toca”, foi visto mais de 18 milhões de vezes no YouTube. É uma parceria com Ludmilla, em que as vozes se encaixam com perfeição na versão com levada sertaneja do hit original, uma quizomba do angolano Anselmo Ralph, mesmo nome por trás de “Curtição”. Já o segundo, “Deixa Que Ela Decide”, em que faz trinca nos vocais com a dupla Pedro Paulo & Alex, vai do sertanejo ao pop puro com brincadeiras de alcance vocal que justificam os cinco milhões de views do clipe em duas semanas.

Se você imagina que as nuances do disco param por aí, está enganado, pois desde a primeira música ele apresenta um cartão de visitas com forte influência de bachata, ritmo latino que mistura a um ritmo dançante bolero e cha-cha-cha, em arranjos de bongôs e altas doses de sertanejo, na música “Sua Sina”.

“Acho que os ritmos latinos têm um charme que nenhuma outra música tem e sempre gosto de colocar um pouquinho deles no nosso sertanejo. O sertanejo é o gênero musical número 1 no Brasil por isso, por abraçar outros gêneros sem deixar de lado a sua essência”, diz Zé Felipe, que bebe na fonte de nomes que vão de Prince Royce e Romeo Santos até Julio Iglesias.

Na seguinte, “Esse Refrão é Para Você”, ele já parte para outra mistura caribenha, em um reggaeton-sertanejo. Tem ainda música romântica com levada de violão, “Tirar a Limpo”, até que consolida uma mistura de pitadas de todos os ritmos ao arrocha em sequência que tem  “A Gente Deu Sorte”, “Mil e Uma” e, mais para frente, “Escolha Errada” e a canção que dá título ao trabalho.

Entre elas, “Maquiagem Borrada” tem um belo arranjo de cordas e piano, em canção romântica que já ocupa o topo das paradas de rádio no Brasil.  Pinta até um acento de axé em “Muleke Top Zica” e uma volta ao sertanejo com arrocha e variantes na bem-humorada “E Agora José”.

O disco fecha elegantemente com espaço para todos os ritmos e gostos em “Olha Ela”, uma escolha que contempla os números expressivos de fãs de Zé Felipe nas redes sociais (mais de um milhão no Facebook, 1,5 milhão no Instagram e beirando as 80 milhões de visualizações de seus clipes no YouTube). E a consolidação de um caminho próprio. Ou melhor, de assinatura própria. E isso, definitivamente, Zé Felipe já alcançou.  

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © ZFDaily | Designed by Templateism.com